Traços - Butheca

Inaugura-se a 05 de Julho corrente, pelas 18 horas, a exposição individual “Traços” do artista Butheca. A mesma estará patente na Galeria Kulungwana, na Estação Ferroviária de Maputo, até ao dia 17 de Agosto de 2018.

Moisés Ernesto Matsinhe Mafuiane, Butcheca, realiza a sua décima primeira exposição na Galeria Kulungwana denominada Traços, resultado de longos anos de uma carreira artística autodidacta que iniciou nos anos 90. Butheca dedica-se essencialmente à pintura apesar de trabalhar igualmente diferentes técnicas e suportes que fazem desde artista um investigador incassável. As suas obras, são o reflexo de uma permanente procura de novos resultados e temas, mantendo-se fiel ao percurso que o artista vem estabelecendo ao longo de anos de trabalho.

 Segundo o Curador Ulysses Oviedo: - “Tentando expressar o resultado de algumas reflexões sobre a obra de BUTCHECA, surpreendo-me com a repetição de certas palavras que sempre me acorrem ao tentar analisar os seus trabalhos, como rigor, construção, elaboração, objetividade. Palavras que definem, retratam e expressam realmente os aspectos bem marcantes da sua obra.

Ao longo de vários encontros tive a oportunidade de fazer uma observação apurada deste trabalho onde ressalta a vitalidade do material, do tratamento plástico e da textura visual, resultante da articulação com uma actividade intensa e incessante, totalmente voltada, com exclusividade, para a pintura.

BUTCHECA exprime-se pictoricamente através dos elementos plásticos convencionais: 

cor, desenho, ritmo, composição e texturas, integrados de forma harmónica e em concordância com as normas estéticas, que configuram a concepção de cada uma das obras aqui expostas.

Tenho a certeza de que o resultado que hoje nos apresenta, é, sem duvidas, um instante culminante da obra de um investigador plástico em plena maturidade que merece pertencer à jovem arte contemporânea moçambicana que ficará para a história. Tenho a certeza de que continuará sendo um acérrimo defensor da arte e estou também seguro da sua perseverança neste árduo trabalho.

Só a própria arte será testemunha e confirmará a essência destas palavras.”